Metrologia Dimensional

Para garantir a conformidade do produto final, as pecas passam por uma rigorosa inspeção de metrologia dimensional, depois de terminada a usinagem das peças.

A metrologia é a ciência que estuda a medição e é fundamental no ramo da usinagem. Sem inspeções dimensionais seria impossível averiguar a qualidade final das peças usinadas e sem instrumentos de medição também seria completamente impossível a fabricação de peças com tolerâncias de encaixe, isto é, medidas máximas e mínimas toleradas para que a peça usinada possa trabalhar corretamente com as outras peças com as quais funciona em conjunto.

Essas tolerâncias existem porque devido a fatores como pequenas imprecisões no maquinário ou nos instrumentos de medição, mudanças de temperatura ou falhas por parte dos operadores, é praticamente impossível usinar a peça com uma dimensão exata. Por causa disso, o projeto de cada peça requer uma medida precisa (além da dimensão nominal), que é a medida que serve como referência e dali se derivam as tolerâncias, os chamados afastamentos superior e inferior: duas dimensões entre as quais é admissível que a medida final da peça seja usinada.

 

Os relatórios emitidos pela meteorologia dimensional

Na BRANIVA, uma vez terminado o processo de usinagem, ou sempre que necessário, as peças são encaminhas para o setor de inspeção, onde passam por um processo de metrologia dimensional. Esse processo é realizado utilizando instrumentos com variados níveis de precisão que são escolhidos de acordo com o rigor necessário na medição, sendo que os mais usados são o paquímetro, o relógio comparador e o micrômetro. Todos eles têm sua precisão garantida por calibrações periódicas, realizadas por empresas especializadas.

Após o processo de metrologia dimensional, com as medidas colhidas da peça, é emitido um relatório de inspeção dimensional, contendo uma tabela que compara todas as medidas requisitadas no projeto com as respectivas medidas encontradas durante a inspeção dimensional da peça. Isso assegura a conformidade do produto final e demonstra transparência e exatidão em relação às dimensões obtidas durante o processo de inspeção.

Esse relatório também informa o acabamento superficial que a peça apresenta, o material do qual foi feita, quaisquer tratamentos que a peça recebeu e, quando requisitado, acompanha certificados de matéria prima e de tratamentos, garantindo total conformidade do serviço com o pedido.

 

Instrumentos utilizados na meteorologia dimensional

Diversos instrumentos são usados na metrologia dimensional.

  • Paquímetro

É o mais simples deles, composto por dois bicos de medição, sendo um deles ligado a uma escala fixa, que apresenta graduações milimétricas e de polegadas, e o outro ligado a um cursor móvel que contém uma escala chamada nônio e uma haste de profundidade, que corre por dentro da estrutura da escala fixa.

Uma medida precisa da superfície inspecionada pode ser obtida através da comparação entre a escala fixa e o nônio. Para isso é preciso ajustar os dois bicos fixos nas pontas da superfície a ser medida ou posicionar a ponta da escala fixa no topo de uma superfície e deslizar o cursor até que a ponta da haste de profundidade encoste-se à base oposta a essa superfície.

 

  • Micrômetro

É composto de um arco em meia-lua com um batente fixo em uma ponta e na outra uma estrutura composta por uma rosca interna com passo de extrema exatidão, uma bainha que, além de proteger a rosca de impactos e sujeira, apresenta uma graduação micrométrica, e uma porca graduada, também com elevada precisão em seu passo, com uma haste que se movimenta conforme é rosqueada e uma catraca na face oposta à haste.

Conformo gira-se a porca, a haste move-se em direção ao batente, e devido à alta precisão da rosca (que normalmente apresenta passo de 0,5 milímetros), a comparação das escalas na bainha e na porca informa exatamente a distância entre as duas hastes.

Ao colocar a superfície a ser medida entre as duas hastes e rosquear a porca pela catraca (que gira em falso quando a haste se encontra com o batente, para evitar danos na rosca devido à excesso de aperto) pode-se obter uma medição com precisão de centésimos de milímetro.

 

  • Relógio comparador

Esse instrumento possui uma haste móvel que sai de um relógio com um aro móvel, conectado à graduação interna do relógio. Também é composto por  dois ponteiros, um deles, maior, indica a distância em frações de milímetro em que a haste foi empurrada na direção do relógio, e o outro, menor, indica a quantidade de voltas dadas pelo ponteiro maior, para efetuar medições de tamanhos superiores à distância total representada pelo ponteiro maior.

O relógio comparador é usado para obter a comparação de duas medidas. Uma delas é previamente calibrada girando-se o aro móvel e a outra é obtida posicionando a haste móvel na superfície a ser medida.

Para utilizá-lo é necessário fixa-lo em um suporte magnético e, dessa forma, medir cilindricidade, conicidade, ovalização e alinhamentos radiais ou lineares.

Nele também pode ser acoplado um instrumento chamado passômetro ou súbito, que nada mais é que uma haste que tem em seu fim, perpendicular ao seu comprimento, uma ponta móvel e uma ponta fixa. A ponta fixa transmite o movimento para a haste móvel do relógio comparador, transformando-o assim em um instrumento de precisão para medir diâmetros internos.

Fale Conosco