Soldagem a Arco Elétrico

Também conhecida como soldagem manual a arco elétrico, a soldagem a arco elétrico com eletrodo revestido, é um tipo de soldagem realizada através de um arco elétrico e de um eletrodo consumível em forma de vareta. No processo de soldagem, uma ponta do eletrodo é encaixada na tocha de soldagem e ao encostar a outra ponta do eletrodo na região a ser soldada, cria-se um arco elétrico que derrete o eletrodo e os metais a serem soldados, unindo assim estes elementos a nível molecular.

O eletrodo utilizado no processo de solda manual a arco elétrico é composto por duas partes: a alma e o revestimento.

A alma do eletrodo é a parte que irá conduzir corrente elétrica e é composta principalmente de metal de adição, que irá ser derretido e se juntar com as peças a serem soldadas. Já o revestimento é composto por uma mistura de metais chamada de fluxo. Estes metais, ao serem derretidos pelo calor gerado pelo arco elétrico, liberam gases que formam uma atmosfera protetora na região sendo soldada.

Essa atmosfera protetora impede o contato direto da poça de fusão, região onde os metais estão derretidos, com o oxigênio do ar atmosférico. Se não houvesse a presença dessa atmosfera, a poça de fusão se contaminaria com oxigênio, causando irregularidades na solda, como porosidades, trincas internas e buracos.

Na parte do revestimento também estão presentes os metais de liga, que são os metais que formarão a liga desejada de metal a ser soldado, depois de derretidos e misturados com o metal que compõe a alma do eletrodo. Se estes metais estivessem presentes na alma, já misturados ao metal de adição, a condutividade elétrica seria prejudicada, debilitando a formação de um arco elétrico e tornando o eletrodo ineficiente.

Vantagens da soldagem manual por arco elétrico

A soldagem manual com eletrodo revestido possui diversas vantagens e, por isso, é muito utilizada nos serviços de caldeiraria na BRANIVA.

Por não necessitar de uma fonte externa de gás para criar a atmosfera protetora da solda, o maquinário envolvido nas operações de soldagem a arco elétrico é muito mais compacto e possui mais mobilidade. Isso torna este tipo de solda em um dos mais favoráveis para ser utilizado em soldas em campo.

Além disso, o fato de o eletrodo ser preso à tocha, só havendo a necessidade de contato da ponta do eletrodo com a área a ser soldada, permite dobrar os eletrodos em praticamente qualquer formato desejado. Assim, é possível realizar soldas em áreas onde não há espaço suficiente para utilizar uma tocha de soldagem, como seria necessário caso as soldas fossem realizadas utilizando outros métodos.

Entretanto, esta técnica cria o risco de quebrar o eletrodo ou danificar parte dele, o que pode prejudicar o fluxo elétrico e deixar o arco elétrico instável, afetando negativamente a qualidade da solda. Portanto, só a utilizamos como último recurso.

As soldas executadas por arco elétrico são relativamente mais fáceis de realizar do que as executadas pela maioria dos outros métodos, e dependendo do tipo de eletrodo, um soldador habilidoso pode executar soldas em qualquer posição.

A ausência da necessidade de utilização de gás representa menos material necessário para executar a solda, o que contribui para diminuir seu custo. Isso, somado ao baixo custo do equipamento necessário e ao baixo custo dos consumíveis, torna a soldagem manual por arco elétrico um processo com um custo operacional muito menor do que o custo dos outros tipos de solda.

E pode-se obter um serviço de qualidade tão boa quanto qualquer outro processo de solda industrial, desde que o processo seja utilizado para soldar as ligas metálicas apropriadas.

Fale Conosco