Óleo e Gás

Óleo e Gás

ÓLEO E GÁS

 

Desde a instituição da Petrobrás, no ano de 1953, o Brasil vem se estabelecendo no mercado mundial de óleo e gás. Entretanto, antigamente a produção dependia grandemente de importações, pois a produção não era suficiente para suprir a demanda interna.

Em 2006, com a descoberta de óleo na camada do pré-sal, a mais de sete mil metros abaixo do nível do mar, o país atingiu autossuficiência, desenvolvendo um balanço mais favorável no mercado global. E conseguiu atingir a posição de 12º maior produtor de petróleo do mundo no ano de 2013, com uma média de produção de 1,931 milhão de barris de petróleo por dia.

Projeções da Agência Nacional de Petróleo estimam que até o ano de 2020 a produção alcance aproximadamente 2,8 milhões de barris por dia. Já a produção de gás natural, contabilizada pela Petrobras em 87,3 milhões de metros cúbicos por dia, tem capacidade média de oferta estimada em 168 milhões de metros cúbicos por dia durante o período de 2020 à 2030.

Entretanto, o desenvolvimento e a expansão da indústria de óleo e gás no Brasil depende diretamente de outros setores da indústria, principalmente do setor de usinagem e caldeiraria.
A importância da usinagem e caldeiraria

Parte significativa da produção nacional de petróleo é proveniente de plataformas petrolíferas marítimas, as chamadas plataformas “off-shore”.

Na construção dessas plataformas são necessárias grandes estruturas metálicas, produzidas por indústrias metalúrgicas de grande porte e para o funcionamento de tais plataformas são necessários diversos tipos de maquinário como, por exemplo, equipamento de perfuração, tanques de armazenamento, estruturas metálicas, tubulações, queimadores e bombas para a extração de petróleo dos poços.

A maior parte deste maquinário é produzido por indústrias de usinagem e, com o desgaste sofrido durante a operação, necessita de manutenção constante, fazendo com que indústrias como a BRANIVA sejam vitais para o funcionamento contínuo do setor de extração de óleo e gás natural.

Em especial, as bombas centrífugas necessitam de manutenção frequente, pois seu funcionamento depende principalmente de eixos e rotores, peças que, devido a seu movimento de rotação, estão em atrito constante e se desgastam rapidamente, necessitando de reparos e substituições frequentes.

A BRANIVA contribui com a manutenção e expansão do setor petrolífero fabricando componentes para bombas de todos os portes, trabalhando na produção de peças torneadas (como eixos, buchas e rotores) e, também, com peças fundidas (como mancais e carcaças).

Após a extração do petróleo e seus derivados, ainda é necessário transportá-los dos campos onde são extraídos para os terminais, onde são direcionados para as refinarias e, em seguida, das refinarias para os pontos finais de distribuição de produtos já processados, como gasolina, óleo diesel e gás pronto para o uso.

Essa tarefa é realizada por navios petrolíferos (no caso do transporte do petróleo das plataformas marítimas para os terminais litorâneos) ou por oleodutos e gasodutos (no caso do transporte de óleo e gás por águas litorâneas e por terra) em uma rede que se ramifica por todo o território nacional e liga plantas de extração, processamento e distribuição.

Na BRANIVA são realizados diversos trabalhos de caldeiraria envolvidos na construção e manutenção de dutos, terminais e refinarias. São produzidos diversos tipos de estruturas metálicas de pequeno e médio porte, como torres, plataformas e estruturas de suporte para oleodutos. Essas estruturas são utilizadas em diversas plantas de extração e processamento de óleo e gás e, também, em plantas de distribuição, como os terminais de bombeamento e armazenamento que interligam os oleodutos e gasodutos.

Além disso, a indústria de óleo e gás está relacionada diretamente com a indústria petroquímica, pois o petróleo extraído, quando não é exportado em seu estado bruto, é processado por refinarias para a obtenção de gasolina, óleo diesel, graxa, e diversos outros derivados.

A BRANIVA fornece para ambos os setores da indústria, contribuindo com o quadro econômico brasileiro e incentivando o desenvolvimento da indústria nacional.